«

»

mar 21

[FILME] A Cura do Câncer em 1928 – O Milagre Gerson

GD Star Rating
loading...

Notícias Naturais

O documentário MILAGRE GERSON apresenta o médico que criou a Terapia que leva seu nome, há mais de 75 anos, uma terapia que tem comprovado curar o câncer e outras doenças crônicas e degenerativas. Veja neste post também sobre os enemas de café utilizados na terapia, e ainda o que dizem os críticos sobre o Método Gerson.

O câncer é uma “indústria” que apenas nos EUA gira 200 bilhões de dólares por ano (2004). As dezenas de curas alternativas para doenças cronicas e degenerativas são infelizmente “censuradas” pop pressão dos malditos “lobbies” dos cartéis farmacêuticos. Os lobbies dos Carteis da doença influenciam com GRANA Ministérios da Educação, da Saúde, e muitos órgãos de governos no mundo inteiro. Pouca gente sabe que o famoso FDA norte-americano é um dos órgãos MAIS corruptos do governo daquele país decadente econômica, financeira e moralmente.

Através de sua própria luta contra sua enxaqueca, o Dr. Max Gerson concebeu um tratamento inteiramente baseado em nutrição e desintoxicação criando as condições para o próprio organismo para se curar.

Ele curou-se e desenvolveu a Terapia que leva seu nome e que tem tido enorme sucesso em curar inúmeras doença.

Temas abordado no filme:

– A indústria do câncer: com a lei do seu lado.

– Tratamentos naturais de câncer

– Dr. Max Gerson- história de sua vida

– A relação entre agricultura e doença … e saúde!

– O papel da toxicidade e deficiência de nutrientes na doença?

A cada refeição podemos estar intoxicando nosso corpo ou nutrindo-o. A Terapia Gerson supre o organismo com mega doses de nutrientes naturais de sucos vegetais e ao mesmo tempo desintoxica o corpo através dos enemas.

Nosso corpo revela que seu potencial para TER SAÚDE ultrapassa os limites impostos sobre nós pela indústria de doença; a indústria farmacêutica. Assista abaixo o documentário dublado ou legendado:

A Cura para o Câncer | Dublado HD Brasil | O Milagre Gerson

O MILAGRE GERSON (2004) (Legendas Pt)

Morrendo por Não Saber (Dying to Have Know 2006) Legendado PT

Depois de filmar o documentário “O Milagre de Gerson”, o Diretor Steve Kroschel, se deparou com evidências que apontavam que realmente a cura do câncer já havia sido descoberta e que interesses da indústria farmacêutica estavam por trás de esconder os resultados da Terapia de Gerson, que utiliza-se basicamente da nutrição altamente rica e da desintoxicação. Ele vai então conversar com médicos, pacientes, nutricionistas viajando pelos EUA, Espanha, Holanda e México. No Japão conversa com um médico que aplicou em si o tratamento e curou-se, depois de ter sido diagnosticado de câncer terminal 50 anos atrás. Esse médico hoje faz a Terapia de Gerson no Japão para inúmeros pacientes. “Por que essa terapia ainda está renegada depois de 75 anos de claramente provar curar doenças degenerativas?” – É o que o diretor tenta responder.

Morrendo por Não Saber – Dying to Have Know (2006) Legendado PT from MDDVTM TV9 on Vimeo.

Enemas de Café – Cancêr – Terapia Gerson

Para os que não conhecem, o enema de café é o mais bizarro e surpreendente parte de uma terapia contra o câncer.

Os críticos gostam de atacá-lo e ridicularizá-lo, sem se preocupar em encontrar o seu propósito e função.

A partir do momento em que o paciente entra na terapia completa, o efeito combinado de produtos alimentares(dieta e sucos) e medicamentos fazem com que o sistema imunológico ataque e elimine o tecido tumoral, e este começa a ser expelido, junto com outras toxinas, através do figado, para o intestino. Esta grande purificação faz que se corra o risco de sobrecarga de venenos no fígado, o órgão mais importante de desintoxicação do corpo, que um paciente com câncer já deve estar afetado e enfraquecido. Ai que se faz necessário o uso de enemas de forma frequente conforme orientação médica.

Explicação do enema de café: De um modo geral, em qualquer tipo de enema, se introduz uma substância no recto (ou intestino) vazio para fornecer nutrientes ou medicamentos. É um procedimento médico de grande antiguidade. Há 2600 anos, Hipócrates, o pai grego da medicina moderna, tinha prescrito enemas de água para várias situações. Na Índia, em 200 AC, Patanjali, autor da primeira obra escrita de yôga, o recomendava para a purificação interior. Segundo a tradição, o pássaro Ibis (ave sagrada do antigo Egito, associada a sabedoria) aplicou-se enemas, com seu bico longo e curvo. Mais perto de nosso tempo, uma senhora na corte de Luís XIV da França, se aplicava os enema embaixo das suas saias volumosas, e “Le Malade Imaginaire”, ou seja, “A hipocondríaca” na obra de Molière, gostava de um enema no palco. É só nos últimos tempos, e especialmente em países de língua Inglesa, este método simples e seguro de purificação tenha ficado em desuso. O uso do café como material no enema começou na Alemanha durante a 1ª Guerra Mundial (1914 a 1918). Neste período, o país foi bloqueado pelos aliados e muitos itens essenciais incluindo a morfina eram escassos, mas trens cheios de soldados continuavam vindo para o hospital exigindo cirurgias. Os cirurgiões tinham morfina apenas o suficiente para aliviar a dor das cirurgias, porem não ficava o suficiente para aliviar a dor pós-operatória, e tudo que se podia usar eram enemas de água. Devido ao bloqueio, o café era muito escasso, e se tinha o suficiente para ajudar os cirurgiões a ficarem acordados durante as longas jornadas de trabalho.

Os enfermeiros, desesperados para aliviar a dor de seus pacientes, começaram a colocar o cafe sobrante em baldes para logo ser usado nas enemas. Eles pensavam que se ajudaram os cirurgiões (que o bebiam), os soldados (que não o bebiam), também seriam beneficiados. E assim, os soldados relataram alívio da dor. Esta descoberta acidental chamou a atenção para dois pesquisadores médicos, professores Meyer e Huebner, da Universidade Goetingen na Alemanha, que testaram os efeitos da infusão retal de cafeína em ratos. Eles descobriram que a cafeína, que viaja através da veia hemorroidária e da veia porta hepática para o fígado, abria as vias biliares, permitindo ao fígado liberar toxinas. Esta observação foi confirmada 70 anos mais tarde, em 1990, por Peter Lechner, oncologista cirúrgico do Hospital Distrital de Graz, na Áustria, após um teste de seis anos de doentes com câncer. Em seu estudo, cita resultados de laboratórios independentes que identificam os dois componentes do cafeína que desempenham um papel importante na desintoxicação do fígado.

E Importante saber, que enquanto o paciente retém o enema de café no seu cólon durante os 12 a 15 minutos recomendados, o fornecimento total de sangue do corpo passa através do fígado de três em três minutos (ou seja, quatro a cinco vezes no total), transportando os venenos contidos nos tecidos. Estes são então liberados através dos canais biliares devido à estimulação da cafeína. No entanto, antes de sair do corpo, estas toxinas ainda têm que viajar ao longo do intestino delgado (6 a 8 metros), através do cólon e para fora através do reto e ânus. Claro que durante este longo percurso uma pequena quantidade de toxinas liberadas são reabsorvidas no sistema, podendo causar desconforto ao paciente, especialmente durante a fase inicial da terapia, quando a desintoxicação começou.

A prática:

Os elementos básicos do enema de café são:

– café orgânico torrado, moagem média.

– Água destilada ou filtrada.

– Equipamentos para o enema.

O equipamento mais popular entre os pacientes é balde de plástico, que tem um registro de ml legíveis. Isso mostra o quanto de café entrou no reto. Tubos de borracha deve ser substituído ocasionalmente A mistura padrão para um enema é de 3 colheres de sopa cheias de café orgânico, e 1 lts de água destilada ou filtrada.

O procedimento é o seguinte:

Quando a água ferver, adicione o café, deixe ferver por 3 minutos, então abaixe o fogo e continue a ferver (descoberto) por 15 minutos. Deixe esfriar, coe-o em um coador de pano (um pedaço de pano de linho branco limpo ou nylon). Verificar o restante e adicionar mais água para encher o que evaporou. Antes de iniciar o enema, uma pequena quantidade da solução deve ser descarregada, para que não fique com ar no tubo.

É uma boa ideia comer uma pequena porção de fruta, de modo que o sistema digestivo comece a funcionar, em particular np primeiro enema da manhã. Quanto mais relaxado estiver o paciente, a experiência do enema será mais calma. Isto requer conforto. Pode ser criado um “ninho” para realizar o enema no chão do banheiro, com uma toalha grande ou cobertor na base, coberto com um tapete de plástico, para acidentes de derramamentos, e uma almofada ou travesseiro para a cabeça. Coloque o balde a 50 cm acima da cabeça, pendurado em um gancho ou em um banco. O café não deve fluir com demasiada pressão ou rapidez. São lubrificados uns 2,5 cm do tubo com vaselina e introduzido suavemente no ânus, e o grampo é então libertado para permitir o escoamento do café. O paciente está deitado no lado esquerdo com as pernas colocadas em posição fetal, relaxado e respirando profundamente. Quando todo o café é derramado, deve ser retido por 12 a 15 minutos antes de ser ejetado.

Minerais eliminados pelos enemas são repostos com os sucos indicados pela terapia, ricos em minerais, para não resultar em um desequilíbrio eletrolítico. Enemas são ótimos para aliviar a dor. Alguns pacientes aplicam os enemas a cada duas horas para controlar a dor e outros desconfortos. É importante lembrar que os enemas de café não interferem com a atividade normal do cólon.

As vezes combinamos com hidrocolomterapia, uma lavagem mais ampla de todo o intestino grosso, segundo as indicações médicas.

Possíveis problemas

Muitos pacientes aprendem a rotina dos enemas sem dificuldades, aprendem a desfrutar da sensação de leveza e energia adicional, que é o resultado da prática. Outras, no entanto, apresentam dificuldades que têm de ser eliminadas. Aqui está uma lista de possíveis problemas.

Os pacientes podem chegar a um imenso acúmulo de fezes no cólon, causada pelo uso pesado de analgésicos como a morfina ou codeína. Estes tendem a paralisar o peristaltismo (a contração alternada e relaxamento do intestino através do qual o conteúdo é empurrado para a frente), causando obstipação grave. Como resultado, esses pacientes são incapazes de fazer um enema de café completo, quanto menos mantê-lo retido. A resposta para eles é para colocar a quantidade que possam reter, e mantenha esta quantidade pelo tempo possível (mesmo que apenas por alguns minutos), e em seguida liberar e aplicar a solução de café restante. Alguns pacientes podem sofrer de retenção de gás, impedindo a entrada do enema no cólon. Quando isto ocorre, uma pequena quantidade, por exemplo, 180 ml a 300ml de café pode ser introduzido, após o qual o balde é baixado até ao nível do paciente permitindo que o café flua para trás na cubeta. Isso muitas vezes liberta o gás, fazendo com que apareçam “bolhas” na cubeta; e depois disto recomeçar a operação.

O paciente deve aplicar o enema deitado sobre seu lado esquerdo para auxiliar a solução de café para entrar no cólon descendente e cólon transverso. No entanto, como resultado da artrite, cirurgia ou tumores, deitar sobre o lado esquerdo pode ser muito doloroso. Neste caso, o paciente deve se deitar de costas, com as pernas elevadas e avançar a partir daí. Se um paciente que sofre de irritação aguda do cólon, uma pequena porção da solução de café, por exemplo de 60 a 120 ml podem ser diluídos em chá de camomila em vez de água. O café vai ajudar a desintoxicar o fígado, enquanto que o chá de camomila acalma o cólon. No caso de diarreia grave, enema apenas com chá de camomila é usado, de manhã e à noite. Para preparar o chá de camomila, coloque 30 gr de cabeças de flores secas em uma tigela de vidro, adicione 1 litro de água fervente, cubra a tigela e deixe descansar em lugar morno cerca de quinze minutos para fazer a infusão. Coe, esfriar e despeje a numa garrafa com tampa de pressão, mantê-lo por três dias.

As vezes após o enema de café, depois de 12 minutos, você não consegue liberá-lo. Quando isso acontece, a reação comum é aplicar um outro enema, esperando que este impulsione o primeiro, mas se isso não acontecer o paciente tende a entrar em pânico. O motivo é que o cólon esta em espasmo, e este bloqueia a saida dos liquidos, não se preocupe, não há perigo, o cólon pode armazenar até 5 litros, mas este não é o objetivo. Se o problema surge a partir de uma cãibra, o paciente precisa deitar de lado com uma garrafa de água quente em seu estômago, e tentar relaxar.. Quando os pacientes estão em aplicação rotineira de enemas, eles percebem o quanto os resíduos dos seus corpos são guardados ao longo dos anos, porque liberam uma variedade de acumulações estranhas e perturbadoras, incluindo uma variedade de parasitas. Especialistas dizem que 85% de hospedeiros parasitas estão no cólon, que agora, finalmente, são expulsos. Portanto, a mensagem é, não se preocupe se os retornos de enema contiver substâncias estranhas, são provas de que a desintoxicação e purificação estão progredindo.

Críticas e Argumentos Contrários ao Método Gerson

Acho interessante sempre colocar alguns argumentos contrários às terapias alternativas, para dar um maior equilíbrio aos posts. O texto abaixo eu retirei do site quackwatch, que é mantido por Stephen Barrett, o qual lembro de ter lido sobre suas afiliações com a indústria farmacêutica. Então é sempre bom ler com uma boa dose de ceticismo:

Método Gerson

Os defensores da dieta Gerson alegam que o câncer pode ser curado somente se toxinas são eliminadas do organismo. Eles recomendam “desintoxicação” com enemas freqüentes café e uma dieta baixa em sódio, que inclui mais de um litro por dia de sucos feitos de frutas, verduras e fígado de vitela cru. Este método foi desenvolvido por Max Gerson, um médico nascido na Alemanha que emigrou para os Estados Unidos em 1936 e trabalhou em Nova York até sua morte em 1959. A terapia de Gerson ainda está disponível no Hospital Meridien em Tijuana, México, e desde fevereiro 1997 , no Centro de Cura Gerson em Sedona, Arizona.

A terapia de Gerson ainda é ativamente promovida por sua filha, Charlotte Gerson, através de palestras, entrevistas em programas e publicações do Instituto Gerson em Bonita, California. Protocolos Gerson incluem injeções de extrato de fígado, enemas de ozônio, “terapia de células vivas”, comprimidos, cápsulas de geleia real de tireóide, óleo de linhaça, enemas de óleo de rícino, pacotes de argila, laetrile e vacinas feitas a partir de vírus influenza e bactérias Staphylococcus aureus mortas.

Em 1947, o NCI (Instituto Nacional do Câncer dos EUA) analisou dez casos selecionados pelo Dr. Gerson e achou que seu relatório não era convincente. Nesse mesmo ano, uma comissão nomeada pela Sociedade de Medicina do Condado de Nova York revisaram os registros de 86 pacientes, examinaram dez pacientes, e não encontraram nenhuma evidência de que o método de Gerson tinha valor no tratamento de câncer. Uma análise pelo NCI do livro do Dr. Gerson, A Cancer Therapy: Results of Fifty Cases, concluiu em 1959 que a maioria dos casos não cumprem os critérios (como verificação histológica do câncer) para avaliação adequada de um caso de câncer [1]. Uma revisão recente de tratamento de Gerson concluiu: (a) os “venenos” que Gerson alegou estar presentes em alimentos processados nunca foram identificados, (b) enemas de café freqüentes nunca foram mostrados mobilizar e remover venenos do fígado e intestinos de pacientes com câncer, (c) não há nenhuma evidência de que qualquer um destes venenos estão relacionadas com o aparecimento de câncer, (d) não há evidências de que a reação inflamatória de cura exista e que possa localizar e matar células cancerosas [2].

Entre 1980 e 1986, pelo menos 13 pacientes tratados com a terapia Gerson foram internados em San Diego area hospitais com Campylobacter fetus sepsis atribuível às injeções de fígado [3]. Nenhum dos pacientes estava livre do câncer, e um morreu de sua malignidade dentro de uma semana. Cinco estavam comatosos devido aos baixos níveis de sódio, presumivelmente como resultado do regime dietético “sem sódio” da terapia. Como resultado, Gerson pessoalmente modificou sua técnicas para a manipulação de produtos de fígado e produtos biológicos. No entanto, a abordagem de Gerson ainda tem um potencial considerável para causar danos. Mortes também foram atribuídas aos enemas de café administrados na clínica de Tijuana.

Charlotte Gerson afirma que o tratamento na clínica produziu altas taxas de cura para muitos tipos de câncer. Em 1986, no entanto, os pesquisadores descobriram que os pacientes não foram monitorados após deixarem a clínica [4]. Embora o pessoal da clínica mais tarde disse que acompanharia seus pacientes sistematicamente, não há nenhuma evidência publicada de que eles o fizeram. Três naturopatas que visitaram a Clínica Gerson em 1983 foram capazes de acompanhar 18 pacientes ao longo de um período de 5 anos (ou até a morte) através de cartas anuais ou telefonemas. Na marca de 5 anos, apenas um ainda estava vivo (mas não livre do câncer); o resto tinha sucumbido a doença [5].

Segue abaixo as referências utilizadas no quackwatch:

  1. American Cancer Society. Unproven methods of cancer management: Gerson method. CA—A Cancer Journal for Clinicians 40:252-256, 1990.
  2. Green S. A critique of the rationale for cancer treatment with coffee enemas and diet. JAMA 268:3224-3227, 1992.
  3. Ginsberg MM and others. Campylobacter sepsis associated with “nutritional therapy”—California. MMWR 30:294-295, 1981.
  4. Lowell J. The Gerson Clinic. Nutrition Forum 3:9-12, 1986.
  5. Austin S, Dale EB, DeKadt S. Long-term follow-up of cancer patients using Contreras, Hoxsey and Gerson therapies. Journal of Naturopathic Medicine 5(1):74-76, 1994.

Fontes:

Blog Anti Nova Ordem Mundial: [FILME] A Cura do Câncer em 1928 – O Milagre Gerson
Notícias Naturais: [FILME] A Cura do Câncer em 1928 – O Milagre Gerson
Questionable Cancer Therapies 
Dr. Pablo Llompart: Enemas de Café – Câncer – Terapia Gerson

Artigos relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>