«

»

mai 18

Temas Psicadélicos, Xamânicos e Mágicos na Cultura Anime

GD Star Rating
loading...

Temas Psicadélicos Xamânicos e Mágicos na Cultura Anime
Disinfo 

Benton Rooks, autor de Kali-Yuga, escreveu um texto analisando o desejo de “shamanizar” sob a estética Neo-Tokyo da popular cultura anime:

Assim como a imersão na virtualidade do vídeo game, temas de orientação espiritual na cultura anime também são um indicativo do desejo inconsciente de shamanizar, ou “caminhar” entre os mundos material e planos espirituais da existência em transe. Este quadro cosmológico é talvez representado pela influência neo-platônica na metafísica islâmicas de Ibn ‘Arabi e do igualmente complexo quadro cosmológico budista Mahayana, retratando os complexos “planos de existência”  que deve se atravessar, a fim de obter a divindade andrógena. [1]

Na verdade, parece que o inferno central do Japão é a eliminação do xamanismo indígena, na qual a interação direta com os Deuses é cortada pela escravidão (e obsessão irônica) da máquina. Este tema tem sido melhor representado pelos filmes de Miyazaki, Mamoru Oshii e Satoshi Kon – cada um desses magistrais artistas japoneses retratam universos tão inundadas com inteligências industriais e transhumanistas que a repressão do sobrenatural (e muitas vezes primitivos) instintos imaginários, são feitos para literalmente irromper com força violenta sobre o plano material (como em  Paprika  e  A Viagem de Chihiro). Máquinas de outra forma consideradas inertes tornam-se possuídas por demônios pela infiltração da IA (Inteligência Artificial), um triste comentário sobre as armadilhas da inteligência humana na era tecno-xamânica ( Ghost in the Shell ). [2]

Na obra-prima Paprika de Kon,  nós estamos encarando a Deusa techno-xamânica do submundo, mas de uma forma pop-psicodélica com talento visual sem precedentes. O personagem principal Doutor Atsuko Chiba entra no sonho do espaço mútuo de sua paciente como o avatar digital do Paprika, a quem ela negocia com uma tecnologia chamada de “DC Mini” que permite as pessoa conectarem mundos de sonhos para a aplicação psicoterapêutica. As passagens através do espaço interno imaginário como visto comandando por Paprika, o avatar astral sendo muito mais ousado e corajoso do que a versão do plano material da personagem, ela vê a sua própria frágil condição humana de uma forma distintamente zombeteira. Assim, Paprika é uma tecno-xamã lúdica que tremula para a gravidade da humanidade, um absurdo maravilhoso. Da mesma forma queos Wachowski pegaram emprestado do Invisibles de Morrison, Nolan (Inception/A Origem) e Aronofsky (Cisne Negro) também pegaram emprestado ambos extensivamente do distinto e curioso experimental de Kon, na investigação sci-fi psicológica.

Referências:

[1] Chittick.

[2] Para temas ocultos em xamanismo Oriental veja Beyer (1973) e Lowell. Para tecno-xamanismo em geral veja Davis. Para uma conversa erudita sobre temas psicodélicos e místicos, na obra de Philip K. Dick veja a recente entrevista do editor RS Jeremy Johnson com Erik Davis.

Fontes:
Blog Anti Nova Ordem Mundial: Temas Psicadélicos, Xamânicos e Mágicos na Cultura Anime
Disinfo: Psychedelic, Shamanic and Magickal Themes in Anime Culture

– Kali-Yuga a Graphic Novel by Benton Rooks (Facebook)

– Kheper: The Planes of Existence

– Reality Sandwich: Psychedelic, Shamanic, and Magickal Themes in Anime Culture

Reality Sandwich: Erik Davis on VALIS, P.K.D. and High Weirdness

Artigos relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>