«

»

mai 18

Mais de 100 Empresas Contestam Propostas de Alteração da Neutralidade da Internet

GD Star Rating
loading...

Mais de 100 Empresas Contestam Propostas de Alteração da Neutralidade da Internet
Em carta enviada à Comissão Federal de Comunicações, pedem a garantia de uma Internet “livre e aberta”.

Mais de 100 empresas de tecnologia, entre elas a Google, Facebook, Amazon e Microsoft, escreveram à Comissão Federal de Comunicações (FCC, na sigla em inglês) para manifestarem a sua posição contra uma nova neutralidade da Internet e defenderem uma web “livre e aberta”. A missiva surge depois da FCC ter avançado com a proposta de novas regras para o tráfego de dados online, abrindo caminho a uma Internet a “duas velocidades”.

A 24 de Abril, a FCC anunciava que pretendia levar a discussão, na próxima quinta-feira, a possibilidade de as empresas passarem a negociar contratos com os fornecedores de banda larga para que os seus conteúdos circulem e sejam descarregados a uma maior velocidade, o que poderá deixar em desvantagem empresas menores e com menor capacidade econômica.
Em Janeiro, um tribunal norte-americano considerou que a FCC não tem competências para impor regras que assegurem a chamada neutralidade da Internet, segundo a qual a circulação dos dados na rede deve ser tratada da mesma forma, independentemente da origem. O caso foi levado a tribunal pela operadora Verizon que, à semelhança de outros operadores de telecomunicações, pretende cobrar por uma circulação prioritária, para compensar o investimento feito.

Esta quarta-feira, numa carta enviada ao presidente da FCC, Tom Wheeler, e aos quatro comissários da estrutura, perto de 150 empresas lamentam que a comissão federal venha agora propor que seja possível a “fornecedores de serviços de Internet por cabo e telefone discriminarem tanto técnica como financeiramente as empresas online e imporem novas taxas sobre estas”. “Se estas notícias estiverem corretas, isso representa uma grave ameaça à Internet”, defendem.

No lugar de permitir a “negociação individualizada e a discriminação”, as empresas signatárias sustentam que as regras da Comissão Federal de Comunicaçõesdeveriam proteger os utilizadores e as empresas de Internet a operar em plataformas fixas ou móveis contra o bloqueio, discriminação e circulação prioritária paga e tornar o mercado para os serviços online mais transparente”.

As companhias consideram ainda que a Internet deve permanecer uma “plataforma aberta ao discurso e ao comércio, no sentido de os Estados Unidos continuarem a liderar os mercados mundiais de tecnologia”.

Para a próxima quinta-feira está agendada uma reunião na FCC para a qual já houve pedidos de adiamento. Jessica Rosenworcel, comissária da estrutura, defendeu que “lançar-se uma regulamentação na próxima semana não respeita que o público se manifeste sobre a proposta” de Tom Wheeler para uma nova neutralidade da rede. A comissária, citada pela Reuters, propõe o adiamento do encontro pelo menos por um mês.
Fontes:
Blog Anti Nova Ordem Mundial: Mais de 100 Empresas Contestam Propostas de Alteração da Neutralidade da Internet
– Público: Mais de 100 empresas contestam propostas de alteração da neutralidade da Internet

– Público: Justiça americana rejeita regras para garantir neutralidade da Internet

– CDN1: Federal Communications Commission (PDF)

Artigos relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>