«

»

mai 10

Controle via Implantes no Cérebro em Humanos: Realidade ou Ficção?

GD Star Rating
loading...


Blog Anti-NOM

A tecnologia de controle do cérebro em humanos soaria claramente como ficção, vindo diretamente de filmes como Matrix, mas vejam então alguns artigos reais sobre o uso eletrodos implantados em humanos. O Dr. José Manuel Rodriguez Delgado foi um espanhol conhecido por suas pesquisas em estimulação elétrica do cérebro. Delgado foi o criador do stimoceiver, que era um aparelho que conectava ao cérebro dos pacientes e permitia tanto receber dados de eletroencefalografia como enviar estímulos ao cérebro via rádio.

Nestes estudos os pacientes eram recebiam diferentes estímulos que os levavam a sentir prazer, falar, ou até mesmo atacar a parede. Se estes estudos foram feitos nos anos 60 com resultados tão impressionantes, você acha que pararam por ali?

Eu já havia me deparado com este assunto há um tempo atrás, existem milhares de vítimas de implantes não consensuais no mundo inteiro, com várias organizações civis que visam protegê-las do assédio e perseguição que sofrem, voltaremos a esta questão em outro post. Abaixo fotos da paciente sob o efeito de estímulos para sentir prazer e em seguida estímulos para que sentisse raiva e atacasse a parede.

implants_image003.jpg (384×414)

implants_image007.jpg (384×340)

Abaixo alguns trechos retirados do estudo
A implantação de eletrodos em animais 
Através de uma pequena abertura no crânio, o pino é introduzido a uma profundidade pré-determinada e é fixada com cimento dental no ponto em que passa através do crânio. Em seguida, a parte superior do pino é dobrada sobre a superfície do osso e protegida novamente a uma curta distância, e o encaixe do terminal é exteriorizada na cabeça. Cada contato da tomada corresponde a um ponto determinado na profundidade do cérebro, que é acessível meramente  plugando um conector, um procedimento tão simples como ligar qualquer aparelho elétrico a uma tomada de parede
Eletrodos no cérebro humano
Geralmente vários conjuntos de finos eletrodos com um total de vinte a quarenta contatos são colocados na superfície e / ou na profundidade do cérebro, com os conectores terminais exteriorizado através do couro cabeludo e protegido por uma pequena
atadura principal ( ver Figura 4). Em alguns casos, os eletrodos permaneceram por quase dois anos com excelente tolerância.
Algumas mulheres têm mostrado sua adaptabilidade feminina às circunstâncias usando chapéus ou perucas atraentes para esconder seus eletrodos elétrica, e muitas pessoas foram capaz de ter uma vida normal fora do ambulatório, retornando à clínica para exame e estimulação periodicamente.
Já é possível equipar os animais e os seres humanos com instrumentos diminutos chamado “stimoceivers” para rádio-transmissão e recepção de mensagens elétricas de e para o cérebro em indivíduos completamente livres.
Em animais, o stimoceiver pode ser estudado sem perturbar suas relações espontâneas dentro do grupo. Comportamento como a agressão pode ser evocado ou inibida. Em pacientes, o stimoceiver pode ser amarrado ao curativo cabeça, permitindo a estimulação e monitoramento da atividade elétrica intracerebral sem perturbar atividades espontâneas
É razoável especular no futuro próximo que o stimoceiver pode fornecer a ligação essencial do homem para computador e vice-versa, com um feedback recíproco entre os neurônios e instrumentos que representam uma nova orientação para o acompanhamento médico das funções neurofisiológicas .
Receios tem sido expressados que esta nova tecnologia traz consigo a ameaça de possível controle remoto indesejado e antiético das atividades cerebrais de homens por outros homens, mas como será discutido mais tarde, esse perigo é muito improvável e é
compensado pelos benefícios clínicos e científicos esperados.
O efeito mais comum obtido pela estimulação eletrônica do cérebro humano é uma resposta motora simples: como a contração de uma extremidade.
Dependendo de sua localização, a estimulação elétrica do cérebro é capaz de evocar não apenas simples respostas, mas também comportamentos complexos e bem organizados que podem ser indistinguíveis da atividade espontânea.
Estímulo elétrico no cérebro
Quando o paciente foi avisado da estimulação que iria acontecer e foi convidado a tentar manter as pontas dos dedos estendidos, eu não poderia impedir a movimentação evocado e comentou: “Doutor, eu acho que a sua energia elétrica é mais forte que a minha vontade.”
Vocalizações foram obtidas por estimulação da área motora no giro pré-central e também da área  motora sumplementar em ambos os hemisférios. A resposta geralmente consiste de um choro contínuo ou interrompido com um som de vogal a qual ocasionalmente tem um componente de consoante.

Leia ainda:


[VIDEO] Michael Persinger – Rádio-frequência para o Controle das Mentes. Estudos, Projetos e Patentes








Cientistas Tentam Sincronizar o Cérebro Humano com Computadores








 

Transhumanista quer Ensinar Crianças que “A Morte é Errada”

Fontes:

– Blog Anti-NOM: Controle via Implantes no Cérebro em Humanos: Realidade ou Ficção?

– Brain Implant Victims: Psychic Dictatorship in the U.S.A.

Estudo: The Physical Control of the Mind

Artigos relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>