«

»

abr 14

Todas as Vantagens de Se Usar um Chip: Porque eu Quero um Microchip Implantável

GD Star Rating
loading...

Blog Anti-NOM

O leitor gosta da ideia de ter um microchip implantado em seu corpo? Não? Pois a BBC fornece uma série de “boas razões” para correr e pedir um chip já, sem perder tempo. Conta o jornalista Frank Swain:

Alguns anos atrás, eu estava sentado na beirada da minha cama em um pequeno apartamento, respirando em uma nuvem de fumaça de acetona, utilizando um bisturi para enfiar no canto de um cartão de viagem eletrônico de Londres (chamado de Oyster Card). Mais de 10 milhões de londrinos usam estes cartões Oyster para utilizar a rede de transportes públicos da cidade. Eu decidi dissecar o meu. Depois de deixar o cartão ficar em um removedor de unha rosa por uma semana, o plástico tinha amolecido o suficiente para que eu pudesse desmembrar as camadas. Enterrado dentro havia um minúsculo microchip ligado a um fio de cobre fino: o chip de identificação por radiofrequência (RFID).

Todos utilizam microchips (10 milhões só em Londres!), não fazem mal nenhum, até dá para usar os transportes públicos.  

Meu objetivo era enterrar o chip sob a minha pele, para que as catracas eletrônicas do metro se abrissem com um aceno de mão, como se eu fosse algum tipo de mago tecnológico. Mas embora eu tivesse o chip e um ex-médico da marinha real estivesse  disposto a fazer a cirurgia, eu não consegui achar o silicone de alta qualidade que eu precisaria para revestir o chip, para evitar que o meu corpo tivesse uma reação ao chip.

O jornalista tem alguns problemas, uma visita ao neurologista não seria nada mal. 

Desde então, pessoas têm usado a técnica que eu ajudei a popularizar para colocar os chips Oyster em pulseiras, anéis, varinhas mágicas, e até mesmo frutas, mas o prêmio para o primeiro ciborgue de transporte de Londres ainda está em aberto.

Em Londres há diversas pessoas com problemas, não apenas o nosso Frank.

As pessoas que conseguirem fazer isto irão se encontrar introduzidas na comunidade de “moedores” (grinders) – amadores que modificam seu próprio corpo com avanços tecnológicos. Assim como você pode encontrar “cabeças de gasolina” debruçados sobre um motor, ou hackers mexendo no código de software, “moedores” inventam maneiras de ajustar seus próprios corpos. Uma das atualizações mais populares é a implantação de um microchip sob a pele, normalmente na parte macia entre o polegar e o indicador.

Veja também:

– Washington Post: Chips Implantáveis Ligados a Tumores em Animais

Tome Amal Graafstra, um auto-descrito “tecnólogo aventureiro” e fundador da empresa de biohacking Dangerous Things em Seattle, Washington. Ele é um implantado duplo – ele tem um microchip em cada mão.

Em sua mão direita é um chip regravável, o mesmo tipo usado em cartões de viagem Oyster, que pode ser utilizado para armazenar pequenas quantidades de dados. Pressionando a mão contra o telefone, informação pode ser baixada do seu corpo ou enviada a ele. A mão esquerda contém um número de identidade simples que pode ser digitalizada para destravar a porta da frente, fazer login em sua computador ou até mesmo iniciar o motor de uma moto (veja o vídeo ao fim do artigo).

Espalhados pelo globo há um certo número de indivíduos com sérios problemas, pessoas que evidentemente não têm nada que fazer na vida e que precisam de urgente ajuda. Mas por enquanto vamos em frente.

Este mês na conferência Transhuman Visions (em port. “Visões Trans-Humanistas”) em San Francisco, Graafstra configura uma “Estação de implantação”, oferecendo aos participantes a oportunidade de ser chipado por 50 dólares. Usando uma agulha larga para microchipar animais, Graafstra injeta um chip RFID revestido de vidro do tamanho de um grão de arroz para cada voluntário. Até o final do dia Graafstra tinha criado 15 novos “ciborgues”.

Mais 15: o total não pára de aumentar…

Para outras pessoas, porém, a idéia de implantar-se com microchips pode evocar fantasmas de vigilância e controle totalitário. “Todo filme de Hollywood lhes disse que os implantes são para rastreamento de pessoas“, diz Graafsta. “As pessoas não entendem que é a mesma tecnologia utilizada pelo cartão em sua carteira. Quando alguém usa um cartão de crédito, sem fio ou não, eles são rastreados por várias outras corporações que sabem quem eles são, quando compraram, quanto gastaram e onde passaram”.

Pois então: esta já deveria ser uma boa razão para evitar um microchip na pele, não é? Não, não, pois segundo Graafsta as vantagens são imensas:

No entanto, se isso é verdade, qual a razão para implantá-lo? Graafstra e seus companheiros cyborgs poderia facilmente usar um chip dentro carteira de plástico para armazenar dados, e uma chave para abrir a porta da frente ou iniciar uma moto”. Sim, basicamente, que você tirou um cartão de acesso RFID normalmente armazenado em um bolso da calça e o colocou em uma bolsa de pele”, admite Graafstra. Ainda assim, existem algumas vantagens: uma vantagem é que você nunca vai perder o chip, e faz o roubo físico impossível – pelo menos a menos que um ladrão está preparado para uma cirurgia horrível.

Sim, sem dúvida, isso justifica a implementação, estúpido não pensarmos certas coisas… Agora imaginem o que um ladrão com más intenções não iria fazer se soubesse onde você esconde o seu chip? Cirurgia horrível? Horrível para o implantado é óbvio!

Graafstra também aponta que a incorporação do chip sob a pele reduz a distância que pode ser lido com um scanner, tornando-o mais seguro. Quando se está em seu braço ou na mão, há menos chance de que alguém pode furtivamente digitalizar seus detalhes, varrendo um leitor de cartão nas proximidades.

Em última análise, microchips implantados oferecem uma maneira de tornar o seu corpo físico legível por máquina. Atualmente, não existe um padrão único de se comunicar com as máquinas na sociedade – desde a construção de painéis de acesso a caixas eletrônicos, mas uma diversidade infinita de sistemas de identificação: bandas magnéticas, senhas, números PIN, questões de segurança e dongles. Todas essas são tentativas para fazer um caminho entre a sua identidade digital e a físico, e se você esquecer ou perder-los, de repente você está cortado de sua conta bancária, sua academia, seu carona, a sua prova de identificação, e muito mais. Um chip implantado, pelo contrário, poderia agir como o nosso token de identidade universal para navegar por um mundo regulado por máquinas.

No entanto, para que isto funcione, tal chip deveria ser  verdadeiramente universal e levar em conta o potencial de obsolescência. Meu próprio flerte com a tecnologia implantada chegou ao fim quando me mudei para longe de Londres, tornando inútil um cartão Oyster implantando na mão. Mesmo com um retorno a Londres, estou pensando duas vezes antes de voltar ao meu projeto, já que cartões Oyster estão sendo eliminados.

No entanto, tal mudança pode realmente ser um motivo de otimismo para os entusiastas de implantes, porque em vez de cartões Oyster, a autoridade de transportes de Londres está permitindo que as pessoas andem de metrô e ônibus usando cartões bancários. Ele marca o início de um movimento lento em direção a um mundo onde tudo será acessado a partir de um único microchip RFID. Se esse dia chegar, eu não consigo pensar em um lugar mais seguro para mantê-lo de dentro do meu próprio corpo.

—————————————-

Com certeza e eu até posso sugerir em qual parte do corpo: o caixa craniana, que atualmente parece vazia.

Agora, a sério.

Um artigo no site da BBC, um artigo inócuo, com um par de vídeo inócuos.

É assim que, devagarinho, se introduz em uma pessoa normal com a ideia do chip implantável. Uma pessoa que até hoje provavelmente nunca pensou nesta hipótese e que ainda continua a recusá-la. No entanto, a partir de hoje, num escuro canto do cérebro mora uma ideia, aliás, uma pequena equação que o artigo conseguiu introduzir: microchip = segurança.

Este é o início.

A seguir, um vídeo imperdível: Amal Graafstra, a “Mente Brilhante” de Seattle, acionando a sua moto com o microchip implantado.

Nota Blog Anti-NOM: a maioria dos comentários foram retirados do site Informação Incorrecta. A tradução do artigo da BBC foi refeita integralmente pelo blog Anti-NOM.



Veja ainda:

Washington Post: Chips Implantáveis Ligados a Tumores em Animais

[Marketing do Chip] BH Testa Chip que Faz Mão Virar um Controle Remoto Universal
http://2.bp.blogspot.com/-Um_foTuOb0Y/UoU9ttiwVEI/AAAAAAAABe4/GM7A_cb7Hv4/s400/BH_chip_implantavel.jpg

[2004] FDA aprova os Primeiros Chips RFID Implantáveis para Seres Humanoshttp://2.bp.blogspot.com/-ZPEIbw2goHM/Ul9w4uOEyJI/AAAAAAAABTM/bHHmW6oDjh4/s1600/chips_autorizados_em_humanos.jpg

Fontes:

Blog Anti-NOM: Todas as Vantagens de Se Usar um Chip: Porque eu Quero um Microchip Implantável

– BBC: Why I want a microchip implant

Informação Incorrecta: Todas as vantagens do microchip

Via: Nos dias de Noé

Artigos relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>