«

»

abr 07

E se o Avião da Malaysia Airlines Estiver em uma Base Secreta dos EUA? Novidades sobre o Avião Desaparecido

GD Star Rating
loading...

“Portugal Glorioso” publica estas notícias que, naturalmente, podem ser consideradas especulativas, ao certo, pouca gente sabe o que aconteceu.

Laura Botelho, Escritora e Pesquisadora, surpreende-nos com esta versão do misterioso desaparecimento do MH-370 da Malaysia Airlines.

Laura afirma:

Quando a própria mídia, convencional e respeitada, invoca um ar de suspense sobre o desaparecido avião após todas as hipóteses cientificas terem-se esgotado para saber o que aconteceu ao MH-370, algo de estranho está acontecendo. Numa altura que se recrutam pessoas para ir a Marte, torna-se difícil explicar que não se consiga encontrar um “aviãzinho”! Vamos fazer um diagnóstico sobre este estranho caso, reunindo as peças do quebra-cabeça que se conhecem.

Assim;

O Boeing 777-200ER da Malaysia Airlines, tem uma reconhecida boa segurança, é dito até ser um dos mais seguros devido à sua tecnologia. No avião encontravam-se 239 passageiros. Sete eram crianças.

O Vôo MH-370 partiu do Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur às 00:41 de sábado (16:41 GMT sexta-feira), e deveria chegar a Pequim às 06:30 (22:30 GMT) – um pouco mais de 7h de vôo. O Capitão Zaharie Ahmed Shah, tinha mais de 18.000 horas de vôo e era funcionário da companhia aérea desde 1981 – 33 anos de casa.

Foram confirmados que estavam a bordo, 20 funcionários (12 da Malásia e 8 da China) da empresa FreescaleSemiconductor – uma empresa de tecnologia com sede no Texas com bases em Kuala Lumpur e Tianjin, China. A Freescale Semiconductor desenvolve micro-processadores, sensores e outras tecnologias que executam funções de computação em sistemas eletrônicos nos últimos 50 anos.

A Freescale tinha acabado de lançar um novo “gadget” de guerra eletrônica para sistemas de radares militares nos dias que antecederam ao desaparecimento do Boeing. Aparentemente, esta patente seria aprovada 4 dias após o desaparecimento do voo, e o que estaria em jogo seria exatamente o direito à patente.

O valor da patente seria dividido assim -20% para Freescale Semiconductor  +20% para cada um dos 4 funcionários, os quais estariam no avião. Caso eles não sejam encontrados, a Freescale Semiconductor terá controle completo da patente. Se um detentor de patente morre, em seguida os titulares restantes dividem igualmente os dividendos do falecido, se não houver  testamento. Se quatro dos cinco morrem, então o titular da patente restante fica com 100% da patente. Os detentores de patente podem alterar o produto legalmente, passando para os seus herdeiros. No entanto, não podem fazê-lo naturalmente, até que a patente seja aprovada, o que não aconteceu, pois o avião desapareceu!

Quem são os outros 20% de acionistas da Freescale ? Incluem o Grupo Carlyle de investidores da private equity, cujo conselheiros no passado incluíram o ex-presidente americano George Bush  pai, e ex-primeiro-ministro britânico John Major. Clientes de destaque da Carlyle, incluem a Saudi Binladin Group, a empresa de construção de propriedade da família de Osama Bin Laden.

Sabe-se que uma carga altamente suspeita estava a bordo do avião em 8 de Março, declarada  “publicamente como pilhas de lítio“. Por este fato, teria Moscovo notificado o Ministério de Segurança do Estado da China (MSS) da sua preocupação quanto a essa carga, e Moscovo recebeu dos chineses a garantia de que todas as medidas seriam tomadas a fim de se verificar o que estava a ser mantido tão escondido, quando a aeronave entrasse no seu espaço aéreo Chinês.

Mas vamos a uns pormenores até agora pouco conhecidos:

O voo MH-370 foi aparentemente desviado do seu curso por controle remoto. Monitorizado por satélites e radares VKO no Oceano Índico, voou quase 3.447 km (2.142 milhas) para o atol de Diego Garcia.

A alegação, é que um controle remoto (tipo drone) pode ter sido usado para controlar o avião, a sua velocidade, altitude e direção através do envio de sinais de rádio sem a interferência dos pilotos.

Ora, os EUA têm tecnologia capaz para desviar o avião para a sua base em Diego Garcia, ou para outra base qualquer, pois esta aeronave 777-200ER Boeing está equipada com um sistema fly-by-wire (FBW), que substitui os controles de voo manuais convencionais de uma aeronave, com uma interface eletrônica (controle remoto) que lhe permite controlar qualquer aeronave deste tipo.

Entretanto;

Moradores nas Maldivas, afirmam ter visto um avião a voar baixo às 6:15h em 8 de Março, cuja descrição é aproximada do MH-370. Um especialista em aviação local, disse que provavelmente o avião teria sobrevoado as Maldivas. A possibilidade de qualquer aeronave sobrevoar a ilha no tempo e hora relatado, é extremamente baixa, acrescentou o especialista.

Testemunhas oculares do Kuda Huvadhoo, concordaram que o avião estava voando de Norte para Sudeste, em direção ao extremo sul das ilhas Maldivas. Também confirmaram o barulho incrivelmente alto que o avião fez quando voou sobre eles. Sabe-se que o avião, após ficar incontatável, passou para uma altitude de 3.000 pés, naturalmente para escapar à maioria dos radares

Habitantes das Maldivas:


Eu nunca vi um avião voar tão baixo sobre a nossa ilha“. “Vemos hidroaviões, mas tenho a certeza de que este não era um desses“, disse uma testemunha ocular. “Algumas pessoas saíram das suas casas, para ver o que estava a causar este barulho tremendo“.

Tudo indica que o avião desaparecido estará em Diego Garcia, uma base militar muito peculiar e importante dos EUA.  A matemática para a quilometragem e o tempo do voo, coincidem perfeitamente com os fatos apresentados aqui, para mostrar que essa busca permanente de um avião que caiu no oceano é simplesmente um logro. Acho que isto resume tudo sobre esta farsa, montada para encobrir algo secretamente muito pesado. Talvez um dia venhamos a conhecer os motivos desse desvio de rota. Basta ficarmos atentos. Temos que pesquisar e compreender o “modus operandi” de e como nos enganam com tanta facilidade.

Por Laura Botelho

PS- Desde o meu primeiro artigo sobre este assunto, recebi uma opinião que deixo para vossa apreciação, e que coincide com esta hipótese. Neste primeiro artigo, foi dito que seriam técnicos americanos que estavam a bordo, mas não, esses técnicos afinal são malaios e chineses ao serviço da empresa Texana.

Não se admirem que nos próximos dias, apareçam destroços no Índico, confirmando assim a tese da queda da nave no mar. Na minha modesta opinião, o avião poderá ter sofrido um desmantelamento cirúrgico em «Diego Garcia», para que esses restos sejam transportados num submarino e largados algures nas zonas de busca. Resultado oficial, “o avião espatifou-se definitivamente no Índico“, assunto encerrado!

Por fim:

O canal Discovery Channel, vai emitir um documentário sobre avião Malásia 370, ‘O Mistério do Avião Desaparecido’ é o nome do documentário de 60 minutos que irá para o ar no dia 13 de Abril. Naturalmente não passará por pareceres técnicos, este caso é demasiado confidencial para ser discutido em público.
Adendo: E se o avião da Malaysia Airlines estiver numa base secreta dos EUA? (Visão)

Leia mais:

[Avião da Malásia] 20 Passageiros Trabalhavam para Firma de Guerra Eletrônica e Radar Militar e a Nova Teoria da Conspiração






Israel Está se Preparando para um Ataque do Avião Desaparecido na Malásia?








Desaparecimento do Voo 370 da Malaysia Airlines Começa e Pedir Explicações Sobrenaturais









Fontes:

Laura Botelho: Conspirações? Aviões, cargas, patentes e a primeira dama é um homem

– Portugal Glorioso: Novidades sobre o avião desaparecido

Artigos relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>