«

»

dez 02

Black Friday é um Crime Contra a Humanidade?

GD Star Rating
loading...

Há aproximadamente 190 mil pessoas na China que estão atualmente trabalhando em campos de trabalho escravo. Entre eles estão pequenos infratores, como viciados em drogas, ladrões e prostitutas. Atualmente, 75% dos brinquedos são feitos na China, e estes brinquedos estão sendo montados em condições que fariam o americano médio encolher de pavor. Então, por que temos tantos consumidores que apoiam isso, consciente ou inconscientemente? Os campos de trabalho chineses realmente tem mulheres e crianças que são forçadas a trabalhar 7 dias por semana e às vezes 20 horas por dia. Essas fábricas são lares de empresas norte-americanas que obtêm lucros exorbitantes do trabalho escravo de mulheres e crianças – e você está pagando por isso.

Os cidadãos americanos passam suas vidas com uma vaga ideia de onde seus produtos vêm. Quer se trate de vestuário como a Nike, Adidas ou brinquedos feitos pela Disney ou McDonald´s. As pessoas perderam a noção da realidade, já que as pessoas ou são ignorantes, ou simplesmente não se importam que a maior parte dos produtos que compram (especialmente durante a Black Friday) são de fato de fábricas prisionais como a Foxconn.

A Foxconn é uma das  fábricas em Taiwan que montam os produtos da Apple, como os iPhones. Em 2010, um relatório feito por mais de 20 universidades na China afirmou que “Os trabalhadores reclamaram para os pesquisadores que as linhas de montagem correm muito rápido, e que eles foram obrigados a concluir todos os procedimentos em exatamente dois segundos. Os trabalhadores não são autorizados a falar, sorrir, sentar, andar ou se mover desnecessariamente durante suas longas horas de trabalho, que os obrigam a terminar 20.000 produtos todos os dias.

Em 2000, o  McDonald´s foi forçado a “investigar” afirmações de que trabalho infantil estava sendo utilizado em uma de suas fábricas chinesas de brinquedos. Uma vez mais, descobriu-se que o trabalho infantil estava sendo usado, e as crianças estavam trabalhando 16 horas por dia , 7 dias por semana e que ganhavam menos de US$25 por mês.

Para se ter uma ideia dos números surpreendentes que cercam a Black Friday, vamos examinar um pouco as estatísticas a partir de 2011. Em 2011, mais de 226 milhões de pessoas compraram na Black Friday, seja online ou em uma loja física. Além disso, os consumidores gastaram o equivalente a $ 11,4 bilhões de dólares no dia da  Black Friday, com um total de $52,4 bilhões de dólares só naquele fim de semana.

O chamado feriado americano é na mesma semana em que os americanos dão graças ao que já tem, inclusive liberdade e riqueza, que agora está em declínio devido à destruição da indústria e manufatura americana, que foram enviadas ao exterior. As pessoas que participam das loucuras de compras, simplesmente não parecem alcançar o entendimento de que uma grande quantidade de violações dos direitos humanos ocorrem nas fábricas, quer se trate de uma fábrica exploradora (sweatshop) ou campos de trabalho, onde seus amados produtos são produzidos.

De acordo com numerosos estudos e investigações, a maioria das fábricas – e especialmente os campos de trabalho (os quais estão em sua grande parte localizados nos arredores de Hong Kong, onde os negócios são fechados) – são constantemente descobertas violando as leis trabalhistas chinesas, as leis dos direitos humanos da ONU e até mesmo os códigos éticos das próprias corporações, tudo para aumentar os lucros das sociedades, bem como a necessidade dos americanos para em satisfazer seus desejos materialistas.

O Black Friday não parece estar diminuindo. Na verdade, este ano o Black Friday tornou-se Black Thursday pela primeira vez na história (nos EUA). Portanto, agora os americanos têm um dia a mais para desfrutar de suas “economias” em brinquedos feitos pelos trabalhadores chineses que sofreram dia após dia para montar, tudo isso enquanto ainda lutam para alimentar suas famílias.

Traduzido por Jahaísa e Admin

Fontes:

Activist Post: Consider: Is Black Friday is a Crime Against Humanity?

South China Morning Post: Foxconn factories are labour camps: report

http://www.scmp.com/article/727143/foxconn-factories-are-labour-camps-report

Artigos relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>