«

»

dez 28

[Agenda 21] Google Quer Vigilância On-Line do Smart Grid

GD Star Rating
loading...

A “Internet das coisas” não seria “Internet” o suficiente, se o Google não estiver envolvido até a cabeça. Felizmente, para aqueles que projetaram o sistema de espionagem com dispositivos, o Google está tentando se envolver fortemente na implementação de mais uma outra peça do grid de controle tecnológico.

Segundo o The Information e o The Verge, o Google está testando agora termostatos ligados à Internet que permitem aos usuários ver a quantidade de energia que está sendo consumida em suas casas, bem como ser capaz de fazer ajustes do nível de consumo. Pelo menos essa é a justificativa usada para vender a tecnologia para o público. As verdadeiras razões por trás da incursão do Google neste campo relativamente novo e também de outras empresas de tecnologia, governos e organizações relacionadas com a “sustentabilidade”, são um pouco menos interessadas na satisfação do consumidor, saúde ambiental, e nas contas de energia mais baixas.

A mais recente incursão do Google no grid de controle, um amplo campo aberto para o gigante corporativo que nunca parece cansado de novos produtos pioneiros de controle tecnológico comercializáveis​, é chamado de EnergySense. Este novo programa é o segundo round para o Google, que tentou algo semelhante há alguns anos atrás chamado Powermeter, contudo este programa foi encerrado em meados de 2011 devido a “dificuldades de ampliação“. A declaração da missão do Powermeter, semelhante ao do EnergySense era “que as pessoas poderiam diminuir o uso de energia em 15 por cento, se pudessem ver o que estava acontecendo.

As coisas estão melhorando para o Google a este respeito, no entanto, como Josh Lowensohn do The Verge escreve: “Este pode ser um momento melhor para este tipo de serviço, indicado para a onda crescente de eletrodomésticos conectados. Isso inclui Nest, que começou com termostatos e desde então mudou-se para detectores de fumaça. É acompanhado por uma série de aparelhos Wi-Fi e Bluetooth conectados que podem armazenar informações em nuvem, de geladeiras à web cams“.

Curiosamente, o Google Ventures já investiu no Nest em 2012.

Claro que, se alguém é mais capaz de monitorar e observar a quantidade de energia que está sendo usada por uma família ou aparelho, é lógico que ele seria mais capaz de reduzir e conservar a quantidade de energia que se usa. No entanto, realmente esperam que que nós acreditemos que o Google simplesmente quer que os consumidores sejam mais capazes de monitorar seu consumo de energia para economizar dinheiro e salvar o meio ambiente? Ou estaria o Google interessado em algo totalmente diferente?

Josh Lowensohn, do The Verg, pode estar mais ligado do que ele acha quando ele escreve que “para o Google e outros, esses dispositivos representam uma possível riqueza de dados“.

Dados, de fato. O mais recente empreendimento do Google é apenas mais um passo na fusão entre a “Internet das Coisas” e o “Smart Grid“, a solidificação do estado de vigilância e o eco-fascismo em uma só entidade que em si é apenas parte de uma agenda muito maior.

Para aqueles que não têm conhecimento de que o termo “Smart Grid” significa, o Smart Grid é essencialmente um sistema informatizado que permite o monitoramento e controle sobre o uso de energia diretamente na fonte para cada aparelho em casa. A tecnologia Smart Grid é uma parte importante da Agenda 21, um plano da ONU “para juntar uma população drasticamente reduzida em áreas de habitat humanos“, significando super-cidades ultra-modernas com moradias empilhadas e amontoadas e zero contato com a natureza e o mundo externo.

A “Internet das coisas”, é claro, é o termo usado pelo desonrado ex-general e diretor da CIA, David Petraeus, para descrever o surgimento de aparelhos que são conectados e controlados por aplicativos. O próprio Petraeus discutiu o fato de que, por causa dessa nova tecnologia, as agências de inteligência não vão mais precisar colocar dispositivos de espionagem dentro de sua casa – você vai fazer isso por eles.

Como foi escrito no artigo “Gravando Tudo – Detalhes de como os governos podem moldar a dinâmica da dissidência“, dentro dos próximos anos será possível para a ala de inteligência do governo dos EUA coletar, armazenar e centralizar todo o tipo de dados que existe de todos os seres humanos no país, 24 horas por dia, sete dias por semana, por um ano por um custo total que varia em algumas centenas de milhares [de dólares]. E isso é apenas o que foi anunciado. Não inclui os projetos clandestinos secretos que atualmente permanecem sob sigilo ou o fato de que esses programas têm estado em curso há anos .

Não apenas isso, mas com o desejo aberto do governo dos EUA de criar um Total Information Awareness network, bem como a infraestrutura legal como o Ato Patriota e outra legislação Big Brother, um clima foi criado onde todos os dados adquiridos por aparelhos “inteligentes” serão inevitavelmente colocados nesta rede de monitoramento do governo. Não só isso, a infra-estrutura bisbilhoteira é tal que se pode supor que cada pedaço de informação que se encontra no seu caminho para a Nuvem não acabará por encontrar o seu caminho para um banco de dados centralizado do governo, mas vai fazê-lo de forma imediata.

O fato é que, enquanto aqueles poucos indivíduos que ainda estão preocupados com a sua privacidade reclamam sobre sua constante perda, o muito familiar aviso do nosso declínio para um mundo falado no 1984 de George Orwell é muitas vezes repetido até provocar náusea. No entanto, basta que qualquer um dê única olhada ao redor para entender que não estamos em perigo de nos transformarmos no estado de vigilância orwelliana em um futuro próximo. Nós já estamos nele.

Leia mais:

Google Comprou a Boston Dynamics que Desenvolve Robôs Militares Para o Pentágono

 

Google quer Microfones em seu Teto e Microchips Dentro de Sua Cabeça!








Google vai Substituir os Trabalhadores não Qualificados por Robôs
Fontes:

Activist Post: Google Seeks Internet Surveillance of the Smart Grid

– The Information: Google Trials Smart-Thermostat Service

– The Verge: Google said to be testing smart thermostats to save home energy use

Engadget: Google reportedly testing smart thermostats in ‘EnergySense’ program

Artigos relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>