«

»

dez 08

Revista Scientific American: Matem Mais Bebês Para Salvar a Terra

GD Star Rating
loading...

supra-populacao de acordo com a ONUApós o vazamento de um projeto das Nações Unidas que delineou o plano para substituir a propaganda do medo sobre o aquecimento global com a ameaça da superpopulação, um artigo da revista Scientific American aborda este mesmo tópico, forçando a noção de que programas de aborto em massa e controle de natalidade precisam ser encorajados a fim de reduzir a quantidade de seres humanos exalando dióxido de carbono no planeta.

Em última análise, planejamento familiar por si só – como o uso de preservativos- em algumas partes do mundo com populações em crescimento, incluindo os EUA, poderia conter, de uma maneira significativa, o crescimento populacional”, escreve David Biello.

Para sustentar sua argumentação, Biello menciona um artigo escrito por Paul Ehrlich, um eugenista desacreditado que, certa vez, declarou que “todos vão desaparecer em uma nuvem de vapor azul.

Ehrlich, que escreveu Ecoscience com John P. Holdren, o livro onde os autores defendem a colocação de drogas no abastecimento de água para esterilizar pessoas e abortos forçados, é famoso por suas previsões imprecisas e espetaculares sobre como a superpopulação iria destruir o meio ambiente.

O artigo citado por Biello defende uma campanha de relações públicas dirigidas às mulheres para incentivá-las a praticar o aborto com a finalidade de reduzir a quantidade de gases de efeito estufa na atmosfera. Em outras palavras, mais bebês precisam ser mortos para evitar que eles exalem CO2.

A verdade por trás dos temores sobre superpopulação é a redução do nível de vida global, fazendo com que o terceiro mundo nunca se torne economicamente próspero e, ao mesmo tempo, destruindo a classe média das nações ocidentais.

O objetivo das instituições globalistas é “limitar e reorientar as aspirações por uma vida melhor das classes médias em todo o mundo”, em outras palavras, reduzir o padrão de vida das classes médias na Europa Ocidental e América.

Similarmente, em seu artigo, Biello denuncia que “pessoas mais ricas” levariam a um aumento no consumo, mais uma vez revelando o fervor eugenista com que os ambientalistas querem impedir o terceiro mundo de sair da pobreza e da fome.

Na realidade, sempre que um país se desenvolve e se torna mais próspero, a população cai naturalmente, reforçando o fato de que os ambientalistas não se importam com a ameaça representada pela superpopulação, mas, sim, com o que representaria para a elite a existência de uma classe média forte.

Controles ambientais que impedem o desenvolvimento das nações do terceiro mundo e promovem fome, superpopulação e miséria, que é exatamente o que as elites querem que aconteça.

Os avisos sobre a ameaça representada pela superpopulação são fundamentalmente falhos. Na realidade, subpopulação será visto como o maior perigo para a prosperidade humana na segunda metade do século 21.

Dados da ONU indicam, claramente, que a população se estabilizará em 2020 e, em seguida, cairá dramaticamente depois de 2050. O jornal The Economist publicou em 2009 que:

fertilidade está caindo e as famílias estão encolhendo em alguns lugares como o Brasil, a Indonésia e até mesmo em partes da Índia (lugares onde as pessoas pensam estarem repletos de crianças). A taxa de fertilidade da metade do mundo está agora em 2,1 ou menos -o número mágico que é consistente com uma população estável e é normalmente chamado de “taxa de reposição da fertilidade”-. Em algum momento entre 2020 e 2050, a taxa de fertilidade do mundo vai cair abaixo da taxa de substituição global. “

A contagem de esperma global caiu um terço desde 1989 e pela metade nos últimos 50 anos. Este declínio está acelerarando enquanto casais encontram mais dificuldades para terem filhos. Em estudos com homens brancos europeus, a taxa de declínio de esperma é 50 por cento nos últimos 30 anos. Na Itália, isso equivale a uma redução da população em 22 por cento até 2050. A redução da população já está ocorrendo entre os habitantes nativos em muitas áreas da Europa e América.

O processo de redução da população global poderia naturalmente ocorrer aliviando a pobreza do terceiro mundo e elevando o nível de vida das pessoas em todo o mundo. Ao invés disso, globalistas querem atingir este objetico promovendo envenenamento em massa de nossos alimentos e da água.

Além disso, os governos já estão desenvolvendo bombas de nêutron que destroem humanos, mas não os edifícios, “para a limpeza étnica extrema em um mundo cada vez mais populoso”, segundo um relatório de 2007 do Ministério da Defesa Britânico , que previu que o uso de tais bombas poderia levar à aplicação de “força letal sem intervenção humana, elevando questões éticas e legais”. Vimos tempos atrás como outro eugenista, Bill Gates, defendia o uso de vacinas como forma de acabar com o problema do CO2, reduzindo a população.

Como vimos em um post anterior, a superpopulação é um mito. Globalistas e eugenistas deturparam estatísticas populacionais ao longo de décadas, a fim de justificar a sua agenda para acabar com grande parte da população. Se essa agenda genocida continuar, a humanidade vai seguir o caminho do Brontossauro.

Fontes:
Via: Blog Acredite Aconteceu
Tradução: Real Agenda: Revista Scientific American: Matem mais Bebês para salvar a Terra
Artigo Original: Prison Planet: Scientific American: Kill More Babies To Save Earth
Revista Scientific American: Will birth control solve climate change? (O controle de natalidade irá resolver a mudança climática?)
Documento ONU: Secretary-General’s Retreat
Revista The Economist: Falling fertility (Fertilidade em Queda)
Scientific American: Population Bomb Author’s Fix For Next Extinction: Educate Women
Italian Male Fertility Plummets, Population to Drop (Fertilidade de homens italianos desaba, População deve diminuir)
The Guardian: Revolution, flashmobs, and brain chips. A grim vision of the future

Revista Scientific American: Matem Mais Bebês Para Salvar a Terra, 10.0 out of 10 based on 5 ratings

Artigos relacionados:

3 comentários

2 menções

  1. Yan Sthephanovic

    Essas teorias neomalthusianas sempre voltam….
    precisa-se de uma redução no consumismo desenfreado…não parar de consumir, mas saber consumir….é só ver como certos países sofrem com o problema do lixo

    Gostei or Não: Positivo 0 Negativo 0

    1. dejalma Ferreira da Silva

      Prezado Yan ; vejo que seu conceito de superpopulação ainda está submergido ao livro de Malthus , o qual se preocupava unilateralmente com a oferta de alimento em face a explosão demográfica. Pois bem, a preocupação de Malthus tinha pragmatismo ;…porém, o tempo passou e a questão do alimento foi superada. Hoje , no entanto, temos carência de oxígênio ; …de retentores de co2 ; …de espaço físico ; …de penitenciarias; …de escolas…etc etc etc !!! Amigo Yan, você já sabe o que é derivativo de carbono !? Você sabe o que é obsolescência programada !? Pois bem, Yan, esses dois temas citados ( carbono e obsolescência ) são pertinências resultantes da superpopulação. A superpopulação é um fato, Yan; e para compreender esse fato, basta você saber que a dimensão do planeta terra é constante ( jamais crescerá além do que já é) ao passo que a população vem crescendo exponencial e ininterruptamente desde a arca de Noé. Nem mesmo nas grandes pestilências ou holocaustos houve um declínio demográfico. Amigo Yan, tive imenso prazer em poder contribuir para com o seu conhecimento. Estou sempre á disposição. Dejalma Fereira Silva. d.dja1880@hotmail.com

      Gostei or Não: Positivo 0 Negativo 0

  2. Terrorista do IRA

    As pedras GUIA da Geórgia explicam esse furor para matar.

    Georgia guidestones

    Gostei or Não: Positivo 0 Negativo 0

  1. Tweets that mention Revista Scientific American: Matem Mais Bebês Para Salvar a Terra | Blog Anti Nova Ordem Mundial -- Topsy.com

    […] This post was mentioned on Twitter by Luiz Fernando Vaz and Cláudia Pereira, anovaordemmundial. anovaordemmundial said: Revista Scientific American: Matem Mais Bebês Para Salvar a Terra http://t.co/O4XVPFq […]

    Gostei or Não: Positivo 0 Negativo 0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>