«

»

mar 30

ANVISA: Alimentos não tem propriedades terapêuticas, uma vez que são características próprias de medicamentos

GD Star Rating
loading...

De acordo com a ANVISA, apenas aquilo que você compra em uma farmácia pode tratar, curar ou prevenir doenças.

Segue o texto abaixo, retirado desta página.

Pela legislação brasileira, não é possível atribuir propriedades terapêuticas (tratamento, cura ou prevenção) aos alimentos, uma vez que são características próprias de medicamentos. As atribuições que podem ser divulgadas para os alimentos são as relativas às suas características nutritivas, pois sua finalidade é fornecer ao organismo humano os elementos necessários à sua formação, manutenção e desenvolvimento.

A FDA está se tornando fichinha perto da Anvisa. A Anvisa é quem está coordenando todo o processo de vacinação contra o H1N1, e também é quem está implantando o Codex Alimentarius no Brasil. Muito em breve nossa opção para nossa saúde estarão limitadas aos venenos farmacêuticos.

Fontes:
Anvisa: Anvisa suspende propaganda irregular de alimento

Artigos relacionados:

3 comentários

4 menções

  1. ╰☆╮F®ÅNciєℓyღ εїз*

    Puxa vida hein?!
    Que ilógico isso, uma ironia!
    Então agora vamos todos comprar vitaminas e remédios na farmácia e deixar de comer, porque isso parece perfeito, não é?! Absurdo!
    Quando é que a "massa" vai acordar?
    É ter olhos quando TODOS os perderam.
    Lamentável!!!
    ***
    Um abraço
    Esse blog é meu guia de vida! rs
    Fran

    Gostei or Não: Positivo 0 Negativo 0

  2. cris

    Parece que em breve começará a perseguição às terapias alternativas, o que vem ao encontro do pedante Ato Médico. Desde já, recuso-me a ingerir certas "drogas" insuficientemente testadas, mantenedoras do quadro clínico e com efeitos imprevisíveis nos organismos a longo prazo.
    Já basta o que despejam em nossa alimentação – o veneno de cada dia na panela.
    Quanto ao codex alimentarius, creio que a nossa liberdade de escolha será banida aos poucos. Uma restrição hoje, outra daqui a alguns meses, outra no ano que vem…..

    Quando a maioria enxergar, poderá ser um pouco tarde, uma vez que qualquer mudança consciente depende da participação de muitos, e muitos ainda estão dormindo ou talvez prefiram mesmo dormir.
    Contudo, existe um número considerável de pessoas despertando e essas pessoas são capazes de promover mudanças.

    Caso disponha de tempo e interesse, indico esse link – vídeo de Ian R. Crane sobre o codex:

    http://www.youtube.com/watch?v=O2D4-noTiCg&feature=fvst

    Não sei se conhece. Assisti há alguns meses. É interessante. Quando eu tiver tempo, assistirei de novo.

    Gostei or Não: Positivo 0 Negativo 0

  3. Flávio

    A Anvisa entrou em contradição. Duas vezes.
    Primeiro na própria afirmação:
    Alimentos não previnem doenças / alimentos fornecem elementos necessários para a manutenção do organismo.

    Se pensar bem, dá na mesma: se eu me alimento direito, diminuo as chances de contrair uma doença ou aumento a minha resistencia aos efeitos dessas doenças.

    Segundo: numa outra noticia que está no Portal da Anvisa (vá no link Sala de Imprensa do portal), divulgaram:

    "Uso de plantas medicinais da tradição popular é regulamentado". Notícia de 11 de março de 2010.

    O que me chamou mais atenção é a seguinte afirmação:
    “O alho é um famoso expectorante e muita gente tem o hábito de usá-lo com água fervente. No entanto, para aproveitar melhor as PROPRIEDADES TERAPÊUTICAS, o ideal é deixá-lo macerar, ou seja, descansar em água à temperatura ambiente”, explica a coordenadora de fitoterápicos da Anvisa, Ana Cecília Carvalho.

    A coordenadora da Anvisa está nos dizendo que os alimentos tem propriedades terapeuticas (fato que nossas avós já sabiam), diferente do que afirma a legislação brasileira, ao qual eles defenderam nesse caso específico.
    Dá pra ver por aí que é um jogo de interesses.
    Nesse caso, acho que a legislação tem que ser alterada.

    Gostei or Não: Positivo 0 Negativo 0

  1. Superbactéria ataca pessoas com sistema imunológico debilitado – Vai uma vitamina D aí? | Portal Cwb

    […] recomendam o uso de medicamentos como a única forma de prevenir doenças. Podemos encontrar no site da Anvisa:“Pela legislação brasileira, não é possível atribuir propriedades terapêuticas (tratamento, […]

    Gostei or Não: Positivo 0 Negativo 0

  2. Superbactéria ataca pessoas com sistema imunológico debilitado – Vai uma vitamina D aí? « A verdade Aqui

    […] recomendam o uso de medicamentos como a única forma de prevenir doenças. Podemos encontrar no site da Anvisa: “Pela legislação brasileira, não é possível atribuir propriedades terapêuticas […]

    Gostei or Não: Positivo 0 Negativo 0

  3. Tweets that mention ANVISA: Alimentos não tem propriedades terapêuticas, uma vez que são características próprias de medicamentos | Blog Anti Nova Ordem Mundial -- Topsy.com

    […] This post was mentioned on Twitter by Dodilei. Dodilei said: Caramba! RT @verdemaisnews: olha esse post no @novaordemmund http://acessa.me/accr – falando sobre as #mentiras da #anvisa […]

    Gostei or Não: Positivo 0 Negativo 0

  4. Superbactéria ataca pessoas com sistema imunológico debilitado – Vai uma vitamina D aí? | Notícias Naturais

    […] Não podemos ainda afirmar se a preocupação é legítima ou se governo brasileiro está tirando proveito da situação para criar um clima de terror, muito conveniente levando em conta que estamos a poucos dias do segundo turno das eleições. Uma coisa é certa, esta bactéria criou tal resistência pela ingestão indiscriminada de medicamentos, coisa comum no Brasil. Não é de se surpreender, uma vez que as próprias autoridades da saúde recomendam o uso de medicamentos como a única forma de prevenir doenças. Podemos encontrar no site da Anvisa: […]

    Gostei or Não: Positivo 0 Negativo 0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>